Vinte corpos aguardam exames para serem liberados do IML em Teresina

Resultado de imagem para Vinte corpos aguardam exames para serem liberados do IML em TeresinaA falta de estrutura para realização de vários exames tem causado demora na liberação de alguns corpos no Instituto de Medicina Legal (IML) de Teresina. De acordo com o Sindicato dos Peritos Oficiais do Piauí, vinte casos de vítimas não identificadas aguardam destino nas geladeiras do órgão.

Ainda de acordo com o sindicato, alguns dos corpos estão no local há cerca de dois anos, devido à falta de estrutura para realização de um exame de DNA forense, necessário para a identificação dos corpos.

"A população do Piauí sempre que necessita desse tipo de exame pericial padece por meses solicitando que seja feito em outros estados e isso não acontece. Até para enterrar os restos mortais de seus familiares eles ficam a ver navios", afirmou Jorge Andrade, presidente do sindicato.

Segundo o sindicato, famílias de vítimas carbonizadas enterram os parentes sem identificação. O caso mais recente foi o da criança de dois anos que morreu em um incêndio em um assentamento na Zona Rural de Teresina.

A direção do Instituto de Criminalística afirma que tentou pedir ajuda a outros estados, mas a demanda deles também é grande, o que inviabilizou o uso dos laboratórios para exames do Piauí.

O diretor do instituto, Antônio Nunes, informou que está levantando os custos de uma estrutura que permita realizar além do exame de DNA, testes toxicológicos e patológicos para repassar para o governo do estado.

FONTE: G1 PI 

VEJA TAMBÉM
© 2017 Corrente é notícia, todos os direitos reservados