Policiais militares denunciam falta de rádios comunicadores em viaturas no Piauí

Os rádios comunicadores das viaturas da Polícia Militar do Piauí estão sem funcionar e os policias são obrigados a usar por meio do celular pessoal, o que prejudica muitas ocorrências. Flagrantes feitos pela equipe de reportagem mostram a falta do equipamento em alguns veículos e outros com o funcionamento precário, seguido por interferências que prejudicam a comunicação.

Imagem relacionada“Como se pode observar nas viaturas não existem também locais adequados para um carregamento desses celulares. Então as baterias deles também descarregam rapidamente. E aí a comunicação se torna completamente inviável”, declarou um policial, que não quis se identificar.

Segundo a Associacão dos Oficiais Militares do Estado do Piauí (Amepi), a comunicação entre os policiais está sendo feita, na maioria, por meio de rádio portáteis. Eles denunciaram que como a bateria não suporta muito tempo, a saída tem sido a uso de celulares particulares. O Governo do Estado teria adquirido do Exército um novo sistema de comunicação, que não foi implantado totalmente.

“Antes do início dessa gestão, tinha um sistema de rádio que funcionava, com gravação de voz, que permitia amplo alcance . Nós poderíamos falar de Teresina e manter comunicação com a equipe até de Altos, mas este sistema foi desestruturado e implantou outro, que seria mais moderno. Mas com falta de complementação da contrapartida do estado, para que ele pudesse vir a funcionar, o sistema ficou funcionando precariamente com alcance comprometido, com base em rádios portáteis, a comunicação passou a ser via celular particular do policial", afirmou o tenente-coronel Carlos Pinho, presidente da Amepi.

Atualmente no Piauí existem cerca de cinco mil policiais militares em atividade, número considerado insuficiente, segundo especialistas em segurança. Como se não bastassem o pouco número de policiais nas ruas, esse problema da falta de comunicação tem dificultado o trabalho de prevenção como de repressão aos crimes.

 

O policial que não quis se identificar revelou que perseguições a bandidos foram prejudicadas por causa da falta de comunicação. “Têm viaturas que vão pra rua sem comunicação alguma e simplesmente é mandado que vão fazer o patrulhamento mesmo que sem comunicação. Que você se comunique com a central de atendimento 190 e passe seu celular pessoal e resolva. Tem que ter suporte, não é só o profissional, se não tiver a ferramenta pra ajudar no trabalho, aí fica complicado”, declarou.

A Comandando da Polícia Militar do Piauí não quis gravar sobre o assunto.

Fonte G1  

VEJA TAMBÉM
vida saúde
FIEL 1
FIEL 3
droga centro
FONS
OPT
PA
tecnotica
WIL0002
drga centro 2
© 2017 Corrente é notícia, todos os direitos reservados