Voltar à semifinal de uma Copa do Mundo depois de doze anos seria bom. Talvez o primeiro passo para voltar à decisão daqui a quatro anos. Mas o sentimento não é esse. Foi muito pior o quarto lugar de 2014 do que o sexto lugar de 2010 ou o quinto lugar de 2006. Não foi bom!

 
Sucesso dentro e fora de campo, segundo Mundial realizado no Brasil foi recheado de gols, viradas e jogos decididos nos minutos finais

Após um mês de emoções e sentimentos variados, a vigésima edição da Copa do Mundo chega ao fim neste domingo (13.07), no Rio de Janeiro. O estádio Maracanã receberá a partir das 16h o confronto entre Alemanha x Argentina, que se enfrentarão pela terceira vez em uma final da competição. O sucesso dentro de campo com muitos gols, viradas e jogos decididos no fim extrapolou as quatro linhas.

A renovação no futebol brasileiro, iniciada com a contratação do ex-empresário Gilmar Rinaldi para comandar todas as seleções da CBF, terá sequência com a volta de um velho conhecido da torcida ao comando da equipe principal. Dunga, técnico do Brasil na Copa de 2010, foi convidado pelo ex-companheiro na conquista do tetra em 1994 — ambos como jogadores — e confessou a amigos que dará o sim nos próximos dias.

A Alemanha precisou de 113 minutos para chegar ao gol do tetracampeonato. Neste domingo (13.07), Mario Götze foi o herói alemão na final da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 no Maracanã, no Rio de Janeiro. O camisa 19 saiu do banco de reservas nos minutos finais do tempo regulamentar e fez história na segunda etapa da prorrogação.
Herói do jogo saiu do banco para fazer o gol do título nos minutos finais da partida contra a Argentina

© 2017 Corrente é notícia, todos os direitos reservados