BRASIL: Em registro de ocorrência, policiais afirmam que Rogério 157 foi capturado em telhado

Policiais que participaram da prisão de Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, afirmaram, no registro de ocorrência feito logo após a captura, que o criminoso foi detido no telhado da casa número 124 da Avenida Carlos Mattoso Corrêa, dentro da favela do Arará, em Benfica, Zona Norte do Rio.

Policiais que fizeram a prisão posam com Rogério 157A polícia tinha a informação de que o traficante estava num trecho da rua onde Rogério foi encontrado. A fuga de seguranças do criminoso chamou a atenção dos policiais, que entraram na casa. O traficante não apresentou resistência à prisão.

Após ser capturado, Rogério fingiu ser outra pessoa, Marcelo Souza Silva, primo da dona da casa. Os policiais, no entanto, começaram a questioná-lo sobre os nomes de parentes da mulher. Rogério não sabia e acabou confessando sua identidade. A casa onde o traficante foi preso fica a 700 metros, ou dez minutos a pé, da Cadeia Pública José Frederico Marques, onde o ex-governador Sérgio Cabral e os demais presos da Lava Jato no Rio estão presos.

A polícia sabia que Rogério usava a favela para repousar após bailes funk. Na madrugada desta quarta-feira, ele chegou ao Arará por volta das 3h. Antes, o traficante estava na Mangueira, também na Zona Norte.

 

Rogério 157 um dos bandidos mais procurados do Rio de Janeiro,
Rogério 157 um dos bandidos mais procurados do Rio de Janeiro, Foto: Fabiano Rocha /Agência O Globo

 

Segundo Gabriel Ferrando, delegado da 12ª DP (Copacabana), responsável pela prisão, Rogério estava visivelmente mais magro, tinha tatuagem e também estava tentando apagar uma cicatriz. As mudanças na aparência foram feitas, segundo o delegado, para despistar a polícia.

— Além de emagrecer, tentava apagar uns traços pessoais como cicatrizes e tatuagens para confundir os policiais e passar despercebido — afirmou o delegado, que considerou fundamental os agentes conhecerem bem a fisionomia do bandido para o sucesso da prisão.

O secretário de Segurança, Roberto Sá, afirmou que vai pedir à Justiça a transferência de Rogério 157 para um presídio federal fora do Rio de Janeiro. A ação desta quarta-feira contou com mais de 3 mil homens, sendo 2.900 das Forças Armadas, que atuaram no cerco das comunidades e na desobstrução de vias e acessos.

 

Rogério 157 sendo preso dentro de uma casa na Zona Norte
Rogério 157 sendo preso dentro de uma casa na Zona Norte Foto: Reprodução

 

De acordo com um balanço divulgado pela Secretaria de Segurança, até o momento, foram efetuadas sete prisões, incluindo a de Rogério 157, todas baseadas em mandado de prisão e apreensão de dois menores. Também foram apreendidos drogas e entre as armas, um fuzil calibre 556 na comunidade do Tuiuti.

Rogério 157 foi pivô da guerra na Rocinha, iniciada no dia 17 de setembro, quando traficantes ligados a Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, ex-chefe do tráfico da favela que está preso num presídio federal em Porto Velho, invadiram a comunidade para expulsá-lo. Rogério rompeu com Nem e mudou de facção, saiu da Amigos dos Amigos (ADA) e foi para o Comando Vermelho (CV), que domina o Arará.

fonte extra  

VEJA TAMBÉM
© 2017 Corrente é notícia, todos os direitos reservados